O Mago de Torralta

Ir em baixo

O Mago de Torralta

Mensagem por Koude Swann em Dom Dez 10, 2017 4:39 am

Samwell Hightower

Samwell acordou no meio da noite, o corpo suado e um pouco dolorido, a cabeça ainda doía da bebida e as pernas estavam fracas. Rolou na cama até bater em outro corpo, um corpo feminino totalmente nu e adormecido ainda, se sentou na cama botando as mãos nas coxas, também estava nu.
 
Respirou forte deixando o corpo se recuperar, os cabelos castanhos grudando na cabeça, sabia que não voltaria a dormir naquela noite. Resolveu se levantar, tendo calma para não acordar a mulher e seguir até uma escrivaninha.
 
A cômoda era coberta de diversos itens, mas 3 se destacavam ao centro: Uma vela de vidro de dragão, uma moeda estrangeira e uma adaga preta. Encostou-se olhando os artefatos e pegou a adaga, a lâmina ondulava e era extremamente leve, roda-la nos dedos era fácil e Samwell sentia como se ela fosse parte de seu corpo e parte de sua alma.
 
Virou-se para a mulher dormindo “A filha bastarda de Meistre Roster”. Riu um pouco ao pensar na situação “Isso vai deixar ele ainda mais puto comigo”. Quando olhou melhor via que ainda existia um item no corpo nu da garota, um colar com uma pedra vermelha manchada encravada “Essa já está perdida”. Enquanto a memória ia voltando junto ao despertar, Samwell ia juntando as últimas peças e compreendendo suas ações, olhou para o lado da cama e viu a corrente de Meistre roubada de Roster.
 
Suspirou pensando no trabalho que teria, rodou mais duas vezes a adaga nos dedos antes de devolvê-la para a escrivaninha, pegando no lugar dela um pequeno frasco e a moeda, andou até a corrente de Meistre e pegou também, logo após foi até suas roupas e pegou uma cópia do manto dos Meistres.
 
Se vestiu com o manto e a corrente, jogou o liquido do frasco em um dos copos que havia usado em sua festa particular algumas horas antes, rodou a moeda 3 vezes entre os dedos da mão esquerda, sussurrando e murmurando enquanto fazia o processo, e quando acabou sombras dançavam no quarto.
 
-Acorde garota. – Gritou Samwell, a voz saindo grossa e rouca, a filha do meistre acordou repentinamente dando um salto na cama.
 
-Pa... Pai? – Os olhos da garota mostravam medo e agonia, e memórias ruins, memórias muito ruins. – Ma... Ma... Oq... –Lágrimas surgiam dos olhos da garota, Samwell a pegou pelo braço e a levantou com tudo, nesse processo puxando com força o colar no pescoço da garota e o arrancando.
 
-O que pensas que fazes Alerie? Traindo-me dessa forma?- Dizia o Hightower sem deixar de pressionar e movimenta-la rapidamente, empurrando e acuando a jovem Alerie. – Olha bem para mim e diga na minha cara que estas me traindo?
 
A garota recuou mais, assuntada e chorando, Samwell fez um pigarro e mudou o apoio da perna fingindo uma estranha curvatura corporal. Virou-se ferozmente e agarrou a garota. - Devia matar-te agora mesmo, como matei sua meia-irmã... – Pegou o copo cheio do líquido e forçou Alerie a beber até a última gota. Depois deu um empurrão no lado da cabeça da garota que a derrubou. – Saia da minha vista antes que realmente cumpra a ideia de te matar. – Bradou ao final e viu a garota sair correndo do quarto, surpreendentemente nenhum guarda havia se aproximado mesmo com o barulho.
 
Quando Alerie já estava longe o bastante Samwell pegou a moeda entre os dedos, jogou o manto no chão e retirou a corrente de Meistre, se sentou na cama, cabisbaixo e sentindo o corpo e mente pesado. O colar retirado do pescoço de Alerie estava frio como o gelo, frio como a alma de uma pessoa condenada.
 
Era um fato, não voltaria a dormir naquela noite.
 
------
 
Logo após o sol nascer, Samwell viu a primeira pessoa naquele novo dia, um cavaleiro e um dos guardas de Torralta, um que havia sido escolhido diretamente por Samwell para lhe proteger e era um de seus melhores amigos.
 
Gareth Manwoody, terceiro filho do lorde da Casa Mandwoody, tinha ido para Vilavelha se tornar Meistre, mas descobriu no meio do caminho que a espada o servia melhor e se tornara um exímio lutador, mas ainda detinha alguns conhecimentos de sua época de acólito.
 
Era agora um cavaleiro de 19 luas completas, alto e forte, a pele bronzeada, com cabelos negros finos e bagunçada e caindo pela lateral do rosto, olhos castanhos claros e uma barba rala. Vestia apenas um manto simples, com algumas peças de armadura nas pernas e braços, e uma cota de malha embaixo de toda a roupa. Uma espada pendia em sua cintura.
 
-Bom dia M’lorde.- Disse Gareth ao encontrar o Hightower acordado, fazendo uma mesura meio irônica. – Como seu protetor devo alerta-lo, pronto para mais um dia sobre o risco de assassinato constante e ataque de forças superiores?
 
Samwell riu sarcasticamente, ainda estava deitado nu na cama, mas isso não incomodava nem ele nem Gareth naquele momento. Sentou-se na cama, o colar de Alerie ainda estava consigo, mas a pedra não parecia brilhar mais. – Primeira ordem do dia para você, se livre dessa corrente, manto e dessa pedra. Não quero mais vê-los.
 
Gareth pegou os objetos e mais uma vez realizou a mesura irônica, saindo para cumprir as ordens. Samwell foi atrás de alguma roupa para vestir e começar logo o dia. Escolheu uma roupa cinza e preta, larga e cheia de espaços escondido, a camisa preta desvia até um pouco abaixo do tronco com uma forma pontiaguda e as mangas eram longas, a calça cinza era mais comum. Pegou a moeda estrangeira e a adaga e escondeu ambas dentro da camisa.
 
-Vejo que já está pronto. Espetacular como sempre Samwell. – Garth elogiou abrindo a porta após cumprir suas funções. – Pra onde pretende ir?
 
Samwell coçou os olhos antes de responder. – Tenho um trabalho importante para acabar, um meistre para mandar. - O tom de voz de Samwell era triste e Gareth o olhou confuso- Roger, Gareth, o Baratheon pediu que o envia-se Roger como Meistre.
 
-E você vai descartar um dos seus assim? – O cavaleiro perguntou.
 
-Roger Waters foi um dos meus mais valiosos aliados, é verdade, e mesmo que meio maluco seus conhecimentos são grandes, ele pode ser útil em trabalhos maiores do que simplesmente jogar contra alguns arquimeistres irritados.
 
Os dois seguiram andando até sair de Torralta e chegarem à Cidadela, até uma sala onde encontraram Meistre Roger Waters.
 
Era um homem na casa dos 40, com cabelos ralos, finos e embranquecidos, os olhos estavam cerrados e um parecia mais baixo que o outro pela expressão feita pelo velho, ele bebia um copo de vinho enquanto apontava para os lados lentamente seguindo um ritmo próprio.
 
-Ah. Vocês estão ai. – Disse o velho meistre com uma voz baixa e lenta- O que querem? Eu não matei nenhum dos pombos dessa vez.
 
-Não é isso Roger. Você foi chamado para servir em Ponta Tempestade, vim te avisar e lhe passar o trabalho.
 
Meistre Roger Waters começou a mexer de leve em suas coisas. –Então Samwell, não vai querer que eu acabe aquele trabalho pra você?
 
-Claro que quero meistre matador de passarinho. - o Hightower disse com acidez e força- Espero que você vá logo roubar o livro que te ordenei há tanto tempo, e quanto acabar vá direto para Ponta Tempestade. – Ele pegou a moeda estrangeira do bolso e jogou para o Meistre- Para que você sempre lembre para quem é sua lealdade.
 
O meistre deixou a moeda cair no chão, se agachou e foi procurando até a pegar, já com ela em mãos, se virou para Gareth e Samwell e disse- Valar Morghulis.
 
-Valar Dohaerys. –Ambos responderam em uníssono deixando a sala.
 
As ruas de Vilavelha estavam movimentadas como sempre, o porto agitado e o comércio imperava na cidade. Nesses lugares noticias corriam rápido e cochichos eram suspirados em cada esquina.
Uma vantagem de Gareth é que ele era um soldado qualquer, mesmo com seu posto, e ele podia ouvir bastante desses cochichos.
 
-O que andam comentando Gareth?- O Hightower perguntou quando entraram em Torralta. – O que de notável aconteceu?
 
-A filha bastarda de meistre Roster morreu. – Gareth começou, trocando olhares com Samwell- Dizem por ai que encontraram o meistre gritando e soando em sua cama, algumas línguas dizem que ele endoidou outras que foi amaldiçoado. As piores acusam que foi ele que a matou, mas não parece o que diz a verdade. É um fato que a jovem já estava bem doente, sua morte estava próxima.
 
Samwell fechou os olhos e suspirou entrando em seu guardo, tirou a faca de dentro da camisa e a jogou para longe deixando o corpo cair na cama.
 
-Você parece mal m’lorde. - Gareth se aproximou do Hightower, sentando na cama e se curvando sobre seu senhor. – Parece que está em fase difícil e mandar embora um dos seus nesse momento... Deve estar sendo difícil...
 
-Está tão preocupado assim? – Samwell perguntou, olhando nos olhos do Manwoody e sorrindo de forma sacana.
 
-Mas, é claro meu senhor. – Respondeu Gareth e sentiu seu corpo sendo puxado para baixo.
 

-Então satisfaça seu senhor.
avatar
Koude Swann
Senhor de Pedrelmo
Senhor de Pedrelmo

Mensagens : 18
Data de inscrição : 18/10/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum