Coesão e Coerência

Ir em baixo

Coesão e Coerência

Mensagem por NPC em Qua Dez 20, 2017 6:57 pm

Coesão e Coerência

Olá, pessoas.

A partir de hoje esse pequeno espaço em nosso fórum será reservado para a postagem de algumas dicas básicas, que visam melhorar a qualidade de nossas narrações. Dúvidas relacionadas à gramática e literatura, bem como a estrutura textual serão aqui sanadas, para que o jogo possa ficar cada vez mais crível, ampliando assim a diversão de todos.

Costumo dizer que a escrita é um dom, acredito que algumas pessoas recebem essa dádiva, tendo naturalmente um trato diferenciado com as palavras. Porém, não significa que o mesmo não possa ser aprendido e praticado. Em um RPG de fórum a escrita é o fator mais importante, pois o jogo nada mais é do que a composição em grupo de uma narração única, subdividida em diversas pequenas narrações, comandadas pelos players.

Essas pequenas partes devem ser tratadas com cuidado, pois se forem falhas, o todo também o será. Ou seja, escrever bem é de suma importância não só para a história maior que se quer contar, como também para a compreensão dos próprios jogadores, que precisam interpretar seus personagens, acreditando que de fato aquilo está ocorrendo, emergindo assim na narração. Se a mesma é pobre em sua composição, fica muito difícil embarcar no plot. Se não embarcamos no plot... Bom, o que estamos fazendo aqui então?

Duas coisinhas muito importantes para uma boa construção textual (mas não as únicas) chamam-se coesão e coerência. Esses dois conceitos serão o diferencial, a linha tênue entre uma narração bem escrita e uma... Ok, é melhor nem falar.

Ser coeso textualmente é conseguir ligar os parágrafos de forma harmoniosa, fazendo com que cada um complemente o sentido do outro, de forma que o texto por completo passe a mensagem de forma interiça e não fragmentada. Os parágrafos não devem ser avulsos, pois isso irá retirar a possibilidade de compreensão do texto. Para que isso ocorra é necessário certo domínio de algumas classes gramaticais muito importantes.

A primeira dela é o pronome. Os pronomes podem ser utilizados para substituir ou complementar um nome, portanto, na construção de uma narração, são de suma importância para que não haja repetição do sujeito a todo o instante. Para isso, é necessário sempre estar atento ao tempo do verbo, pois será ele que pedirá a pessoa, ou seja, o pronome a ser utilizado. Uma regrinha básica a ser revista, e que ajuda muito nesse momento, é a da concordância, tanto verbal quanto nominal. Mas isso é assunto para outro post.

A conjunção, classe gramatical pouco falada, também nos ajuda e muito na hora de construir a coesão de um texto. Essas palavrinhas servem para dar ritmo e continuidade a uma oração e, claro, para ligar um período a outro. Novamente, ao invés de repetirmos o nome de um personagem na descrição de diversas ações (o que tornará a leitura bastante enfadonha), podemos simplesmente juntá-la em um período composto, substituindo as repetições por nossas amigas conjunções.

Obs.: Vale lembrar que existem dois tipos básicos de conjunções, as coordenativas e as subordinativas, que se dividem em mais doze subcategorias. Cada uma possui uma especificidade, por isso, nada de ir usando-as a gosto. Lembremos sempre que conjunção não é tempero para ser jogada de qualquer forma em um texto.

Um bom domínio dos advérbios, dos adjetivos e das preposições também irá enriquecer bastante um texto, deixando-o coeso e muito mais interessante de ser lido. Escrever pesquisando sinônimos, para aqueles que não possuem um dicionário léxico tão vasto, também irá ajudar bastante. Escrever não é tarefa fácil, e não deve ser encarada como tal. Compor um bom texto é sim dispendioso, para qualquer um que escreva. Porém, o resultado final será sempre recompensador.

A coerência nada mais é do que a lógica interna de um texto. É a aplicação correta de um plot, que precisa ser muito bem distribuído no decorrer da narração. Para tal também é necessário estar atento a alguns detalhes que, se deixarmos passar, poderão destruir por completo uma narração.
Estejam sempre atentos ao tempo verbal. Existem três tempos verbais que podem ser utilizados dentro de um texto, três pessoas passíveis de escolha. A primeira pessoa é aquela que fala. Nesse tipo de narração o próprio personagem nos conta sua história. A segunda pessoa do discurso é aquela com quem se fala, normalmente utilizada dentro de um diálogo. Já a terceira pessoa é a de quem se fala, chamada então de narração onisciente (a grosso modo), onde um narrador afastado da história nos relata todos os acontecimentos que nela ocorrem.

Sejam coerentes com o tempo e modo verbais. Se você iniciou o período utilizando o tempo presente, finalize o período utilizando o tempo presente. O mesmo vale para o pretérito, o futuro, e todos os seus modos (indicativo, subjuntivo, imperativo, etc.). Para isso é necessário estar sempre com o paradigma de conjugações ao seu lado (é fácil de encontrar na internet), isso evitará erros bobos na hora de escrever.

Uma vez escolhida a pessoa do discurso, jamais a modifique durante a narração, pois isso irá tirar totalmente a compreensão de seu relato. Mantenha-se coerente as suas escolhas, pois seu texto irá representar o ponto de vista de um personagem, que deverá ganhar vida por meio de suas palavras.
Escolha muito bem os termos que você irá usar. Vale lembrar que a linguagem predominante no universo criado por Martin é a medievalista, pautada pela formalidade na maioria das vezes. Os verbos devem sempre concordar com os seus pronomes, assim como os nomes, por favor. Muito cuidado com a escolha das palavras, pois um termo inexistente na época medieval soaria muito estranho dentro de uma narração nesse RPG. Revise sempre o seu texto, verificando minuciosamente a presença de erros de continuísmo, termos controversos, e incoerência de ideias. Uma revisão mal feita pode fazer com que cada pérola passe...

Por último, mas não menos importante: Jamais quebre a quarta parede! Nunca, sério, em hipótese alguma nesse tipo de narração fale diretamente com o leitor. Isso chega a ser um crime inafiançável! Alguns autores consagrados utilizam esse recurso de forma primorosa em suas obras, mas aqui, nesse RPG de fórum, essa fórmula não funciona de forma alguma. Primeiramente, a premissa desse jogo é que não há leitores, todos são players compartilhando o ponto de vista de seus personagens para os demais personagens. Não há como existir esse diálogo indireto, portanto, nem tente. Será um suicídio literário.

Pense sempre duas, três, quatro vezes antes de escrever algo que tenha dúvida ou que não entenda o seu significado. É muito melhor ser simplista do que florear o texto com uma pá de palavras sem sentido. Não se esqueça de revisar bem, tanto a parte gramatical quanto o plot em si. Seguindo essa linha, suas ideias estarão claras para todos, e a experiência de leitura será muito mais prazerosa.

Espero ter ajudado. Até a próxima.
avatar
NPC
Mestres do RPG
Mestres do RPG

Mensagens : 18
Data de inscrição : 26/11/2017

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum